Pesquisar
Close this search box.

Índice de inadimplência: entenda como ela impacta a sua empresa e como calcular! 

Índice de inadimplência representa a porcentagem de pagamentos atrasados de uma empresa em relação ao total de vendas realizadas em um determinado período. Não só empresas são impactadas por esse índice, os consumidores também podem sofrer as consequências de não pagarem suas contas pessoais em dia.
indice de Inadimplência

Principais tópicos

Quando um empreendimento enfrenta um alto índice de inadimplência, logo percebemos uma queda nos lucros e problemas no fluxo de caixa.

Esses efeitos podem piorar e ameaçar seriamente a continuidade das operações.

Além da diminuição no faturamento e nos lucros, a falta de pagamento pode trazer outras complicações, como atrasos nos pagamentos a fornecedores, necessidade de recorrer a financiamentos e empréstimos, e aumento das despesas devido a juros.

Entender esse tema é vital para a saúde financeira de qualquer negócio.

Por isso, preparamos um guia que aborda desde o conceito e os fatores que influenciam, até como calcular e estratégias para diminuir esse problema na sua loja.

Continue lendo!

O que é índice de inadimplência?

Ele representa a porcentagem de pagamentos atrasados de uma empresa em relação ao total de vendas realizadas em um determinado período. 

Em outras palavras, à medida que esse índice aumenta, maior será a complicação do negócio perante o mercado.

Compreender bem esse índice permite aos empreendedores avaliar a eficácia de seus métodos de cobrança e identificar oportunidades de melhoria.

Além disso, pode ser um recurso valioso na decisão de interromper vendas para clientes com histórico de crédito ruim.

Como está a situação de inadimplência no Brasil?

Em maio de 2024, o Serasa revelou que 72,54 milhões de brasileiros estavam inadimplentes no Brasil, e o valor médio das dívidas por pessoa era de R$ 5.445,31.

A faixa etária dos brasileiros inadimplentes segundo o levantamento é:

  • 35,2% das pessoas com nome restrito estão na faixa etária entre 41 e 60 anos;
  • Em seguida, 34,2% dos inadimplentes possuem entre 26 a 40 anos;
  • Apenas 18,9 % das pessoas acima dos 60 anos estão com restrições;
  • Os jovens entre 18 e 25 anos são os que devem menos cerca de 11,8%.

Quais são os fatores que influenciam a inadimplência?

Econômicos

Nesse aspecto, destacam-se problemas como desemprego e redução da renda devido à inflação.

Segundo uma pesquisa realizada pelo Serasa Experian, os principais motivos para as pessoas não conseguirem pagar suas contas nos anos de 2022 e 2023 foi o desemprego ou a redução de renda.

Além disso, a inflação é um dos fatores determinantes na diminuição da renda, devido à gradual perda do poder de compra.

Como resultado, os inadimplentes tendem a priorizar seus rendimentos para cobrir despesas básicas do lar, deixando de lado o pagamento de contas que consideram menos urgentes.

Sociais

Nesse aspecto, há uma questão fundamental que contribui para o aumento constante da taxa de inadimplência no Brasil: a falta de educação financeira.

Infelizmente, esse tema é fundamental para o nosso cotidiano e o país carece de iniciativas, como maior acessibilidade e inclusão do ensino financeiro nas escolas.

Como resultado, temos um número maior de inadimplentes simplesmente por não saberem como gerenciar seus gastos de maneira adequada, o que resulta em despesas desnecessárias e acúmulo de dívidas.

Quando não se domina esse aspecto, muitas pessoas acabam recorrendo a soluções paliativas, como parcelamentos, que acumulam juros ao longo do tempo.

Isso leva a compromissos de dívidas de médio ou longo prazo, o que é um dos principais fatores contribuintes para a inadimplência, devido às parcelas que não foram previstas no orçamento mensal.

Comportamentais

Um dos principais motivos para o endividamento também está relacionado ao comportamento de consumo impulsivo.

Por exemplo, muitas vezes as pessoas usam o consumo como uma maneira de lidar com emoções negativas, como estresse e tristeza.

Esse hábito de comprar sem considerar as consequências financeiras a longo prazo pode levar ao acúmulo de dívidas e à perda de controle sobre as finanças pessoais.

Empresariais

As instituições financeiras podem acabar influenciando o índice de inadimplência devido à facilidade de crédito fácil.

Ou seja, facilita empréstimos e cartões de crédito que são oferecidos sem muita verificação do histórico financeiro, sem necessidade de garantias ou comprovação de renda.

O fato é que o crédito fácil pode ser uma armadilha para muitas pessoas.

As altas taxas de juros podem fazer com que o custo total do empréstimo seja muito maior do que inicialmente previsto, e isso pode levar a um ciclo de dívida difícil de quebrar.

Além disso, a facilidade pode incentivar gastos irresponsáveis, levando ao endividamento excessivo.

Qual o impacto da inadimplência em empresas e economia?

A taxa de inadimplência não só mostra como está a saúde financeira das pessoas e das empresas, mas também afeta bastante a economia e o consumo.

Entenda, com maior detalhes, como ela impacta nessas áreas.

Impacto em empresas

Em primeiro lugar, quando os clientes não pagam suas dívidas, isso significa que a empresa não recebe o dinheiro que espera, o que desequilibra o fluxo de caixa.

Isso pode dificultar o cumprimento das responsabilidades financeiras da empresa, como pagar fornecedores, salários dos funcionários e outras contas essenciais.

Além disso, a falta de pagamento reduz os recursos financeiros disponíveis para a empresa, o que limita suas opções de investimento.

Com menos dinheiro disponível, fica mais difícil financiar projetos de crescimento, melhorias operacionais, comprar novos equipamentos ou adotar tecnologias modernas.

A inadimplência também afeta a liquidez da empresa, dificultando o acesso a fundos para emergências ou para aproveitar oportunidades de negócio.

Impacto na economia

Quando alguém ou uma empresa fica inadimplente, isso reduz o dinheiro disponível para gastar, dificulta o acesso a crédito e gera consequências em cascata.

Nesse cenário, os varejistas sofrem perdas de receita quando clientes não conseguem pagar suas dívidas, o que pode afetar sua capacidade de pagar as despesas do dia a dia e reabastecer o estoque, impactando também os fornecedores.

Inclusive, em tempos de crise, os prejuízos causados pela inadimplência podem levar os varejistas a reduzir o número de funcionários, aumentando assim o desemprego e criando um ciclo negativo onde o desemprego contribui para mais inadimplência.

Os bancos também sofrem bastante com o aumento de clientes que não conseguem pagar suas dívidas.

Para evitar os riscos envolvidos na concessão de empréstimos, essas instituições estão sendo mais rigorosas na avaliação de crédito e perdem mais garantias ou informações detalhadas sobre quem está pedindo o crédito, além de aumentar as taxas de juros.

Entretanto, esse aumento pode dificultar ainda mais o acesso ao crédito e fazer com que seja mais complicado pagar as dívidas já existentes, o que cria um ciclo negativo que não parece ter fim.

Como a inadimplência impacta os consumidores?

A inadimplência afeta diretamente a vida do devedor em várias áreas além das finanças, trazendo uma série de consequências negativas que impactam o dia a dia e a qualidade de vida da pessoa e de sua família.

Aqui estão alguns exemplos de como isso pode se manifestar.

Nome negativado

Quando os pagamentos começam a atrasar, o credor pode informar os órgãos de proteção ao crédito, como o Serasa, e registrar o CPF do devedor lá.

Dessa maneira, leva a restrições de crédito devido à dívida em aberto, o que pode dificultar o acesso a serviços como novos empréstimos e possibilidades de negociação.

Redução do score

O histórico de dívidas e pendências tem um peso significativo, representando 33% do cálculo do Serasa Score, que varia de 0 a 1000.

Isso impacta diretamente na pontuação, o que serve como um alerta para bancos e empresas.

Um Score baixo ou em queda pode sinalizar um alto risco para essas instituições ao considerar a concessão de crédito a uma pessoa.

Também confira: Score para abrir crediário: o que é e como melhorar sua pontuação

Dificuldade para aprovação de crédito

A inadimplência pode trazer obstáculos para a obtenção de novos cartões de crédito, empréstimos em geral e até financiamento imobiliário.

Quem estiver planejando comprar uma casa própria, portanto, pode acabar esbarrando no acesso ao auxílio financeiro bancário.

É mais difícil alugar casa e outros serviços essenciais

Mesmo que não esteja pensando em comprar um imóvel, se estiver com contas atrasadas, pode encontrar dificuldades ao tentar alugar uma nova casa.

Afinal, as dívidas podem prejudicar os contratos de aluguel e até mesmo a contratação de serviços importantes, como telefone e internet.

Risco de penhora de bens

Quando se é um inadimplente, pode acabar enfrentando processos judiciais sérios, como a chance de ter seus bens penhorados ou contas bancárias bloqueadas.

Além disso, suas chances de negociar a dívida diminuem bastante.

Impacto na saúde mental e física

A falta de pagamento não afeta apenas o saldo bancário, também pode ter um impacto direto na qualidade de vida e no bem-estar emocional do devedor, causando estresse e ansiedade.

A saúde mental está intimamente ligada à saúde financeira, em uma relação bidirecional comprovada por pesquisas.

Como calcular o índice de inadimplência?

Para calcular a inadimplência da sua empresa, é importante saber quantos clientes foram atendidos e qual foi o faturamento em um período específico.

No varejo, o índice de inadimplência é calculado com base nos pagamentos que estão atrasados entre 90 e 180 dias.

Vamos explicar passo a passo como fazer esse cálculo. Você vai usar a seguinte fórmula:

TI=T90/TT

Para facilitar a compreensão do processo, vamos usar um exemplo fictício para calcular como foi a taxa de inadimplência em julho de 2024, explicando cada etapa.

Escolha os meses que têm atraso entre 90 e 180 dias até julho

  • Janeiro (com pagamentos que estão atrasados de 151 a 180 dias comparados a julho);
  • Fevereiro (com pagamentos que estão atrasados de 121 a 150 dias comparados a julho);
  • Março (com pagamentos que estão atrasados de 91 a 120 dias comparados a julho).

Selecione o valor inteiro das cobranças emitidas, em cada mês

  • Janeiro: R$ 2.500,00
  • Fevereiro: R$ 1.000,00
  • Março: R$ 3.500,00
  • Total: R$ 7.000,00 (TT)

Selecione o total da inadimplência com base nesses meses

  • Janeiro: R$ 250,00
  • Fevereiro: R$ 300,00
  • Março: R$ 350,00
  • Total: R$ 900,00 (T90)

Por fim, aplique a fórmula TI=T90/TT

TI= 900,00/ 7.000,00

TI= 0,1285 ou 12,85%

Dessa forma, a taxa de inadimplência para o mês de julho de 2024 foi 12,85%.

Quais as melhores estratégias para reduzir a inadimplência?

Aqui estão algumas dicas fundamentais para ajudar a reduzir a inadimplência no seu negócio. Acompanhe para um planejamento estratégico.

Faça um sistema de gestão e mapeamento de pagamento

Para lidar efetivamente com a inadimplência, o primeiro passo é adotar um sistema de gestão de assinaturas eficiente que automatize grande parte das tarefas.

Em seguida, é fundamental entender o processo de pagamento dos clientes. 

Criar um fluxograma detalhado para cada etapa é um bom ponto de partida, acompanhado por uma estratégia de cobrança eficaz.

Designe alguém da equipe para acompanhar diariamente a inadimplência e melhorar os processos.

Dependendo do tamanho da empresa, essa responsabilidade pode ser assumida pelo departamento financeiro ou pelo time de atendimento ao cliente.

Esses profissionais podem aprimorar a estratégia de cobrança e usar diferentes canais para se comunicar com clientes inadimplentes, como e-mail, SMS ou telefone.

Se não for possível ter especialistas dedicados, não se preocupe. Estabelecer roteiros claros já é um passo importante para organizar as ações – o próximo é colocá-los em prática.

É essencial destacar a necessidade de um sistema automatizado para esse processo.

Com uma solução integrada, fica mais fácil gerenciar cobranças, cancelamentos e suspensões, já que muitos desses procedimentos podem ser automatizados.

Assim, você acompanha o progresso e realiza análises, enquanto o sistema cuida da maior parte das tarefas operacionais.

Faça o monitoramento diário

Para criar estratégias eficazes para reduzir a inadimplência, é fundamental acompanhar diariamente os números gerais: o total de volume, quantos clientes estão com pagamentos em atraso, quem são esses clientes, entender os motivos principais e identificar áreas para melhorias no processo.

Ao observar de perto o processo, é possível identificar padrões: os clientes inadimplentes são todos de um serviço específico?

Eles pertencem ao mesmo tipo de negócio ou categoria? O problema pode estar relacionado à data de vencimento das faturas?

Essas observações fornecem insights importantes sobre a inadimplência, revelando onde o problema é mais crítico e o que pode estar contribuindo para os atrasos nos pagamentos pelos serviços.

O acompanhamento desse processo pode ser uma responsabilidade compartilhada entre diferentes equipes.

É aconselhável alinhar o departamento financeiro, vendas e atendimento ao cliente (ou Customer Success) nesse processo.

Esse monitoramento pode ser dividido entre as equipes conforme necessário para garantir uma abordagem eficaz e coordenada.

Tenha uma régua de cobrança eficiente

régua de cobrança é uma ferramenta que identifica clientes da empresa com pagamentos em atraso e automatiza o envio de lembretes de cobrança em datas específicas.

É uma forma altamente eficaz de reduzir a inadimplência, especialmente no e-commerce.

Ela é utilizada para pagamentos por boleto bancário, cartão de crédito, débito automático e Pix.

Uma boa estratégia de régua de cobrança visa evitar que os clientes se tornem inadimplentes e reforçar a importância do pagamento pelos serviços contratados para aqueles que estão em atraso.

Para isso, é aconselhável enviar mensagens com diferentes intervalos de tempo, com base na data de vencimento da fatura.

Por exemplo:

  • Envie lembretes automáticos ao cliente 5 dias antes do vencimento;
  • No próprio dia do vencimento;
  • 5 dias após o vencimento;
  • 10 dias após o vencimento;
  • E novamente 15 dias após o vencimento.

Realize acordos

Em muitas situações, não é viável receber o pagamento integral de uma vez de forma rápida.

Por isso, é essencial ter uma política de negociação de acordos com os clientes.

Mesmo que não seja possível receber o valor total imediatamente, estabelecer um acordo pode assegurar o compromisso de que o montante devido será pago até uma data específica.

Normalmente, nessas negociações, pode ser necessário oferecer algum tipo de concessão, como a retirada de juros e multas ou até mesmo um desconto.

Todavia, é importante ter cuidado ao conceder descontos para clientes inadimplentes, pois isso pode incentivar a prática da inadimplência.

Agora que você entende os impactos que um alto índice de inadimplência dos clientes pode ter nos negócios, sabe como é importante calcular esse e outros indicadores.

Isso não só ajuda a combater o problema, mas também a definir estratégias para manter as finanças da sua empresa em ordem.

Conteúdos que podem te interessar:

Controle financeiro: O que é, a importância e como fazer na sua empresa!
Ciclo de crédito: entenda o conceito e saiba como aplicá-lo
Compensação Bancária: veja quando o recebimento de suas vendas cairão na conta!

Adquira sua Loja Online em Minutos!

Vamos ajudar você a abrir sua loja virtual na Tray agora mesmo.

Preencha as informações abaixo e te ligamos em até 1 minuto.

Em 1 minuto mesmo! Preencha aqui que nós ligamos para você

Loja Virtual + Cursos por R$ 59!

Descubra como impulsionar suas vendas online com uma loja virtual + cursos por apenas R$ 59! Clique aqui para aproveitar esta oferta incrível.

Você já é um cliente Tray?

Não perca os nossos mais recentes lançamentos e mantenha-se atualizado!

Confira os Planos Tray e abra sua loja virtual

Mensal
Anual

Plano 1

52
Economize R$84
R$ 624 por ano
em até 6x sem juros

Melhor custo benefício

Plano 2

94
Economize R$60
R$ 1.128 por ano
em até 6x sem juros

Plano 3

236
Economize R$156
R$ 2.832 por ano
em até 6x sem juros

Plano 4

449
Economize R$600
R$ 5.388 por ano
em até 6x sem juros

Assine e receba novos materiais

⚠ Não se preocupe, você não receberá spams. Além disso, seus dados estão seguros, conforme a Lei Geral de Proteção de Dados.

Fique por dentro

Parabéns por se inscrever

Quer receber conteúdos e materiais em primeira mão? Acesse nosso grupo gratuitamente!